No Facebook, efeito manada bolsonarista reforça posição de Marcos Rogério durante a CPI

Atualizado: Jul 5


Senador Marcos Rogério (DEM-RO)
Senador Marcos Rogério (DEM-RO) cresceu quase 75% em número de seguidores no Facebook nos últimos 3 meses

Destaques


  • O senador Marcos Rogério (DEM-RO) foi quem mais se beneficiou, no Facebook, durante a CPI da COVID, entre nove senadores analisados neste relatório, com crescimento expressivo de seguidores e na média semanal de interações por postagem.

  • Com a exceção do senador Marcos Rogério, não houve até aqui modificações expressivas no posicionamento dos perfis analisados durante a CPI da COVID, instalada em 27/04.

  • Pontualmente, o senador Otto Alencar (PSD-BA) se destacou com um pico na média de interações por postagem na semana de 30/05 a 05/06.

  • Ao fim do período analisado, a senadora Simone Tebet (MDB-MS) também demonstrou algum ganho de posicionamento no Facebook, com crescimento no número de seguidores e na média de interações por postagem.

  • Dentre os nove senadores analisados, o senador Humberto Costa (PT-PE) foi quem demonstrou posicionamento mais efetivo no Facebook, com médias semanais de 6 a 8 mil interações por postagem e quase um milhão de seguidores.

  • Os resultados indicam pelo menos três pontos, melhor desenvolvidos a seguir: 1) um ganho de visibilidade política, como o proporcionado pela CPI, não se traduz automaticamente em um melhor posicionamento digital; 2) um posicionamento prévio consolidado não é condição suficiente para melhor se aproveitar a visibilidade proporcionada pela CPI; e 3) neste relatório, novamente, como já ocorreu em outros relatórios produzidos por esta equipe, um perfil apoiador do governo Bolsonaro demonstrou um grau de eficiência no Facebook muito maior que o dos outros senadores analisados.

Análise


No Facebook, o senador Marcos Rogério (DEM-RO) foi quem mais se beneficiou durante o período da CPI da COVID, ao menos até agora. Este relatório analisou os perfis no Facebook de Humberto Costa (PT-PE), Otto Alencar (PSD-BA), Alessandro Vieira (Cidadania-SE), Luis Carlos Heinze (PP-RS), Randolfe Rodrigues (REDE-AP), Simone Tebet (MDB-MS), Renan Calheiros (MDB-AL), Omar Aziz (PSD-AM) e Marcos Rogério (PP-RO), durante os meses de abril, maio e junho de 2021. Nesse período, Marcos Rogério cresceu quase 75% no número de seguidores, com um aumento absoluto de mais de 40 mil seguidores. Além disso, o senador passou de uma média de 600 interações por postagem, na primeira semana de maio, para uma média de quase 5.500 interações por postagem entre 20 e 26/06 (Gráfico 1 e Gráfico 2).



Gráfico 1 - Variação no número de seguidores do perfil do senador Marcos Rogério (PP-RO) no Facebook nos meses de abril, maio e junho.


Gráfico 2 - Variação na média semanal de interações por postagem do senador Marcos Rogério (PP-RO) no Facebook nos meses de abril, maio e junho.


Com a exceção do senador Marcos Rogério (curva em vermelho acima no gráfico a seguir), não houve grandes modificações na média semanal de interações por postagens dos nove perfis analisados durante a CPI da COVID, instalada em 27/04. Veja abaixo a variação da média semanal de interações por postagem de cada um dos senadores nos meses de abril, maio e junho (Gráfico 3).


Gráfico 3 - Variação na média semanal de interações por postagem no Facebook dos senadores analisados, nos meses de abril, maio e junho. A curva de Marcos Rogério está em vermelho acima no gráfico.


Analisado isoladamente, o senador Otto Alencar (PSD-BA) obteve destaque pontual no período analisado, com um pico na média semanal de interações por postagem entre 30/05 e 05/06 (Gráfico 4). O senador, que é médico, ganhou grande visibilidade na CPI durante essa semana, com discursos enfáticos contra a condução da Pandemia pelo governo Bolsonaro, com entrevistas à imprensa, bem como com sua performance durante o depoimento da médica Nise Yamaguchi.


Gráfico 4 - Variação na média semanal de interações por postagem do senador Otto Alencar (PSD-BA) no Facebook nos meses de abril, maio e junho.


Ao fim do período analisado, a senadora Simone Tebet (MDB-MS) também demonstrou um ganho de posicionamento no Facebook. Simone Tebet cresceu de pouco mais de 260 interações por postagem na semana de 06 a 12/06, para mais de 700 interações na semana de 27/06 a 03/07 (Gráfico 5). Além disso, a senadora ganhou mil novos seguidores entre 19 e 26/06, em especial entre 25 e 26/06, exatamente após sua performance durante os depoimentos dos irmãos Miranda, na sexta-feira, 25/06 (Gráfico 6). Futuras análises serão necessária para sabermos se os ganhos de rede se traduzem em benefícios pontuais ou de longo prazo.


Gráfico 5 - Variação na média semanal de interações por postagem da senadora Simone Tebet (MDB-MS) no Facebook nos meses de abril, maio e junho.


Gráfico 6 - Variação no número de seguidores do perfil da senadora Simone Tebet (MDB-MS) no Facebook nos meses de abril, maio e junho.


Dentro os nove senadores analisados, o senador Humberto Costa (PT-PE) foi quem demonstrou posicionamento mais consolidado no Facebook, com médias semanais de 6 a 8 mil interações por postagem (curva azul acima no Gráfico 3) e quase um milhão de seguidores (Tabela 1, a seguir). O perfil do senador, no entanto, não demonstrou variação significativa no que se refere a interações ou número de seguidores durante o período analisado neste relatório. Veja na Tabela 1 abaixo a grande taxa de crescimento no número de seguidores do senador Marcos Rogério (74.64%), em relação aos demais senadores analisados.


Tabela 1 - Variação no número de seguidores no Facebook de todos os senadores analisados nos meses de abril, maio e junho.



Discussão


A nosso ver, os resultados indicam pelo menos três pontos: 1) parece claro que há uma ligação entre o que ocorre no mundo político e as dinâmicas próprias das mídias sociais, mas um ganho de visibilidade política, como o proporcionado pela CPI, não se traduz automaticamente em crescimento na mídia digital, como demonstra a pequena variação no número de seguidores e na média de interações por postagem da grande maioria dos perfis analisados; 2) ao mesmo tempo, um posicionamento prévio mais consolidado nas mídias sociais, como o do senador Humberto Costa, não é condição suficiente para melhor se aproveitar a visibilidade proporcionada pela CPI e gerar crescimento no número de seguidores ou na média de interações por postagem. Além disso, 3) como já percebemos em outros relatórios produzidos, os perfis de políticos bolsonaristas têm apresentado altíssimo grau de eficiência nas mídias sociais, especialmente no Facebook. Neste relatório, novamente, um perfil apoiador do governo Bolsonaro demonstrou um grau de aproveitamento da visibilidade política propiciada pela CPI muito maior que o dos outros senadores analisados. No caso do senador Marcos Rogério, é fácil perceber a simultaneidade entre o aumento de seguidores e o crescimento expressivo da média semanal de interações por postagem, o que nos fez caracterizar este movimento como “efeito manada bolsonarista”, provavelmente constituído da militância governista no Facebook.

Como foi feito o estudo


A coleta dos dados foi feita com o auxílio de softwares hospedados no Departamento de Informática e no Departamento de Comunicação da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). Os dados foram coletados das páginas oficiais dos senadores no Facebook durante os meses de abril, maio e junho. A organização e a visualização dos dados foram feitas pela equipe do ePOCS – Laboratório de Mídias Sociais e Opinião Pública da PUC-Rio, uma parceria entre os departamentos de Informática e de Comunicação.


Vale ressaltar, este é somente um levantamento quantitativo, o que supõe apenas uma aproximação da realidade, que exige também uma análise qualitativa mais profunda. Outros métodos qualitativos automatizados estão sendo estudados para serem incorporados aos nossos relatórios.


Os dados brutos desta pesquisa podem ser acessados no link abaixo.



2021-06-22-15-08-17-EDT-List-Data-Reques
.
Download • 101KB



COPYRIGHT E EXPEDIENTE

ePOCS 01/2021 Laboratório de Mídias Sociais e Opinião Pública da PUC-Rio.


Clique aqui para entrar em contato.


Veja outros relatórios. O ePOCS é um projeto de parceria Universidade-Empresa entre a PUC-Rio e a startup ARENA DIGITAL. PUC-Rio: Prof. Arthur Ituassu, Departamento de Comunicação (PUC-Rio) Prof. Sérgio Lifschitz, Departamento de Informática (PUC-Rio)

Arena Digital:

Felipe Murta, doutorando em Comunicação (PUC-Rio) Raul Pimentel, graduado em Comunicação (PUC-Rio)

Estagiário:

Yago Cury, mestrando em Comunicação (PUC-Rio)

Os objetivos do ePOCS são: Desenvolver mecanismos de busca e extratores de dados para mídias digitais; analisar conteúdo digital como opinião pública e/ou comunicação política; investigar tecnologias, bancos de dados e métodos computacionais para análises de grande volume de dados.


O ePOCS segue as recomendações éticas da Association of Internet Researchers (AoIR).

Foto: EBC Não reproduzir sem a autorização dos autores.

701 visualizações0 comentário